Procedimentos - ZUMBIDO

Descrição

ZUMBIDO

O zumbido é a percepção de sons na ausência de estímulos auditivos externos. Ele é um sintoma, não um diagnóstico. O zumbido pode ser resultado de perda auditiva, dano causado por ruídos, envelhecimento, uso de medicação, sons produzidos por estruturas adjacentes ou outros processos patológicos.

Cerca de 20% da população mundial sofrem desse distúrbio, “barulhos” nos ouvidos ou na cabeça que podem ser percebidos como um chiado, assobio ou apito, e que não são causados por uma fonte externa. A manifestação está relacionada a problemas da vida moderna, como estresse, hipertensão, exposição crônica a ruídos, fadiga, depressão e ansiedade. Embora seja mais freqüente em idosos, sabe-se que ele pode ocorrer em qualquer idade, incluindo as crianças. Algumas causas estão relacionadas a doenças do próprio ouvido (infecções, deficiência auditiva), trauma craniano, medicamentos ototóxicos (aspirina, outros anti-inflamatórios, antibióticos e diuréticos), anemia, diabetes, outras desordens metabólicas envolvendo triglicérides, colesterol, hormônios tireoideanos, disfunção da articulação têmporo-mandibular e até tumores.

 O zumbido está relacionado com a perda de audição e em cerca de 90% das pessoas apresentam os dois sintomas simultaneamente. “O zumbido é um ritmo mais acelerado de disparos elétricos no ouvido. Quando há perda de audição, o ouvido tenta compensar isso com um ritmo mais veloz dos disparos, ocasionando o problema”.

Hoje já existe tratamento para a doença. Desde uma alimentação mais equilibrada, evitando excesso de açúcar e cafeína, uso de medicamentos, aparelhos auditivos e tratamentos mais específicos. Por ser um sintoma associado a várias desordens, “não há um tratamento único que seja válido para todos os pacientes.”

Quem sofre desse tipo de distúrbio deve procurar um otorrinolaringologista para uma avaliação médica e a realização de um exame audiométrico. O zumbido pode piorar com a exposição freqüente a sons intensos, consumo de álcool, cafeína, nicotina e situações de estresse. Quando a causa do ruído não é identificada, o otorrinolaringologista pode lançar mão do tratamento de habituação, onde ele vai tentar bloquear as mensagens do zumbido enviadas ao cérebro, tornando o fenômeno imperceptível.

Abrir Chat